Segunda-feira, 22 de Maio de 2017 -
REIVINDICAÇÕES SALARIAIS

Transita também paralisa atividades em Itabira

17/05/2017 16h01
DIVULGAÇÃO/PREFEITURA DE ITABIRA
Servidores da Transita atuam na fiscalização diária do trânsito na cidade

Servidores da Superintendência de Transportes e Trânsito (Transita) anunciaram greve, por tempo indeterminado, nessa terça-feira, 16 de maio. A exemplo do que acontece na Itaurb, a categoria reivindica recomposição salarial após três anos sem reajuste nos vencimentos.

A paralisação impacta, entre outros, a fiscalização do sistema de estacionamento rotativo da cidade. No último dia 10, a fiscalização foi retomada após quase cinco meses de suspensão, devido ao fim do contrato do município com a empresa que produzia os carnês.

No Facebook, a presidente do sindicato dos servidores municipais, Priscila Miranda, publicou texto lamentando a falta de consenso nas negociações da campanha salarial com a administração do município. Nessa terça-feira, 16 de maio, os dois lados estiveram reunidos, mas, novamente, não chegaram a um acordo. O Executivo alega incapacidade financeira para conceder reajuste em 2017.

Desde a semana passada estão em greve também os servidores da Empresa de Desenvolvimento de Itabira (Itaurb), interrompendo serviços como a coleta de lixo. O governo municipal acionou a Justiça e conseguiu nessa terça-feira uma decisão liminar que determina que 70% dos trabalhadores em greve retornem ao trabalho imediatamente.

Também foi decisão do governo a criação de uma comissão para estudar a viabilidade de terceirizar o serviço de coleta e operacionalização do aterro sanitário de Itabira. O decreto foi publicado no Diário Oficial desta quarta.

Nessa terça-feira, o secretário de Governo do município, Ilton Magalhães, frisou que as contas do município não podem absorver os reajustes para o funcionalismo público. “Não é que o prefeito não tenha vontade (de conceder o aumento), mas a questão financeira atrapalha. É o que queremos mostrar para eles. A nossa situação impede qualquer melhoria na proposta. Eles querem a melhoria no cartão e o que nós já propomos foi uma melhoria de 14%”, disse, na ocasião. 

Se você não tem Facebook, utlize o formulário abaixo para comentar.
18/05/2017 - 10h24
Direito
Itabira
Concordo com você Marcelo em partes, concordo quando você cita sobre os políticos corruptos escolhidos pelo próprio povo em eleições.E discordo sobre você dizer de algumas pessoas serem contra os agentes de trânsito do Brasil. Tenho 20 anos que possuo habilitação em 3 categorias e nunca levei uma multa, e trabalho com meus veículos sou correta em tudo que faço. Já estive em outras cidades e presenciei os serviços dos agentes de Transito que é bem diferente daqui de Itabira, são pessoas que entendem do que fazem conhecem as leis de Trânsito, tem postura não ficam batendo papo ou olhando lojas no horário de trabalho que é o que é feito aqui na Cidade. Não podemos generalizar um todo, mas falta postura também dos profissionais. Intendo que todos os cidadãos têm seus direitos, mas não podemos esquecer-nos de nossas obrigações. E se os políticos corruptos estão lá isso é o reflexo de cada pessoa que os elegeram.
40 7
17/05/2017 - 21h35
Ronan Fernandes
Itabira
Prefeito, da o reajuste urgente pra Itaurb. Eles conseguiram demonstrar que realmente fazem falta. Pra Transita, deixem eles exercerem o sagrado direito de fazerem a greve.
25 12
17/05/2017 - 20h46
Rosangela
Itabira
Concordo com o Pedro. Transita só atrapalha o trânsito, não são preparados, não faz diferença mesmo.
40 7
17/05/2017 - 17h26
Comentarista
Itabira
O pessoal da Itaurb paralisa dá pra intender, más o pessoal da Transita faça me ri, não vai fazer diferença nenhuma.Ó pessoal da Itaurb é bastante desvalorizados e isso é visto até mesmo pelos salários dos mesmos.Não estou aqui pra ficar fazendo comparação de trabalho, mas vejamos a diferença que cada um gera quando há uma paralisação. E o serviço do pessoal da Itaurb dá pra ver claramente a falta que faz quando há uma paralisação.
48 8
Novo comentário
Sou cadastrado
Não sou cadastrado
Comentário
Leia mais em: Cidade
Mais
Emprego