Segunda-feira, 21 de Agosto de 2017 -
DÉFICIT PREOCUPA

Prefeito reúne secretários para deliberar sobre novos cortes

18/04/2017 17h59
ACOM PMI
Secretários apresentaram dados de suas pastas ao prefeito Ronaldo Magalhães

O prefeito Ronaldo Magalhães (PTB) se reuniu com secretários municipais nesta manhã desta terça-feira, 18 de abril, na Fazenda do Pontal, para deliberar sobre novos cortes nas contas da Prefeitura de Itabira. Foi a terceira reunião gerencial e o foco, dessa vez, foi o déficit mensal, contabilizado no último fechamento em R$ 8.264.692,74.

De acordo com Celso Matosinho da Silva, assessor municipal de Gestão, Programas e Metas, a solução para o desequilíbrio financeiro da Prefeitura ainda não foi encontrada. “Os cortes feitos até agora são insuficientes para equilibrar a receita com a despesa. Estamos longe da real necessidade. Então, fizemos essa reunião para intensificar o trabalho”, comentou. Ainda segundo o assessor, “já cortamos algumas coisas, mas precisamos identificar ainda o que tem potencial para ser cortado”, explicou.

No último dia 10, ao completar 100 dias de governo, Ronaldo e sua equipe apresentaram os números da dívida da Prefeitura de Itabira. O débito ultrapassa R$ 146 milhões (clique aqui e veja detalhamento completo). Contornar o déficit mensal, isso é, gastar menos do que arrecada, é o principal desafio na avaliação da atual administração. O prefeito, inclusive, afirmou que é necessário rever o plano de governo apresentado durante a campanha.


Prefeito Ronaldo Magalhães está preocupado com o déficit mensal nas contas do município                                      Foto: Acom PMI

Todas as pastas, como informou Celso Matosinho, gastam mais que arrecadam. No entanto, segundo análise do assessor, existem dois tipos de secretarias, fato que define o percentual de custo. “As secretarias meio, por exemplo Ouvidoria e Procuradoria, gastam basicamente com folha de pagamento, já as secretarias fim, como Educação, Saúde e Agricultura, tem mais compromissos e por isso geram mais gastos”.

Durante a reunião dessa terça-feira, cada secretário apresentou um planejamento minucioso de despesas. “Temos que conhecer os gastos efetivos mensais para que a gente possa definir muito bem a despesa”, afirmou Celso Matosinho. Além disso, segundo ele, é necessário muito debate para definir os cortes. “São decisões muito difíceis de tomar, porque os maiores custos estão na Educação e na Saúde. Temos que ir naqueles serviços que causarão menos impactos, onde o trauma seja o menor possível”, finalizou.

Se você não tem Facebook, utlize o formulário abaixo para comentar.
18/04/2017 - 18h41
Ronan Fernandes
Itabira
Rever plano de governo apresentado durante a campanha? Agora? Entao esta se admitindo que vendeu sonho. E quem acreditou? Como podemos intitular esse eleitor que acreditou?
20 3
Novo comentário
Sou cadastrado
Não sou cadastrado
Comentário
Leia mais em: Política
Mais
Emprego