Quarta-feira, 18 de Outubro de 2017 -
AUMENTO

Contas de água poderão ficar até 29% mais caras em Itabira

Arsae promove audiência pública no dia 12 de setembro para explicar reajuste e debater propostas de melhorias em saneamento básico
30/08/2017 16h36
DEFATO
Água distribuída pelo Saae poderá ficar mais cara em Itabira

A Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae) comunicou nesta quarta-feira, 30 de agosto, que estuda reajuste preliminar médio de 29,10% nas contas de água e esgoto em Itabira. A resolução também cria uma nova taxa, chamada de esgoto estático, e amplia os descontos para a população atendida pela Tarifa Social.

Segundo a Arsae, o reajuste possibilitará que o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) promova investimentos em saneamento rural e em obras de segurança hídrica, umas das principais necessidades apontadas pelo Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) de Itabira. A Agência irá realizar audiência pública na cidade no dia 12 de setembro, a partir das 17h, no teatro da Fundação Carlos Drummond de Andrade, para apresentar as mudanças tarifárias e debater o estudo.

De acordo com minuta disponibilizada pela agência reguladora, o reajuste está previsto para valer a partir de 13 de novembro. Com as mudanças propostas, os usuários serão impactados de acordo com o nível de consumo e a categoria. Quem consome 10 m³ (10 mil litros), é atendido com água e esgoto e não está enquadrado como Tarifa Social, por exemplo, irá pagar uma fatura de R$ 48,51, o que corresponde a um aumento de R$ 10,77. Já os moradores beneficiados pela Tarifa Social, na mesma faixa de consumo e com os mesmos serviços, receberão contas no valor de R$ 24,28, o que equivale a um acréscimo de R$ 0,08.

Já os moradores da área rural, atualmente, não contam com a prestação de serviços de abastecimento e tratamento de água e esgotamento sanitário, consequentemente, não há cobrança. Mas isso irá mudar. De acordo com a Arsae, com a revisão tarifária, o Saae terá condições financeiras para atuar nas localidades rurais, aumentar a qualidade dos serviços prestados na região e os usuários passarão a ser tarifados. A princípio, serão estabelecidas tarifas fixas mensais (veja no quadro abaixo), sem vínculo com o consumo.


Tarifas fixas a serem cobradas em localidades rurais                                                        Fonte: Arsae/MG

Esgoto estático

Se a revisão tarifária prosseguir como estipulado em minuta pela Arsae, os itabiranos passam a pagar, a partir de novembro, a taxa pelo serviço de esgotamento sanitário caracterizado como esgoto estético (EE), com 30% do valor da tarifa do serviço de abastecimento de água.

Justificativas

Segundo a Arsae, a revisão tarifária permitirá que o Saae, pela primeira vez, tenha condições de prestar serviços de saneamento rural e realizar interligação das redes coletoras de esgoto do município. “Esta obra poderá ampliar significativamente o índice de tratamento de esgoto de Itabira”, afirma a nota enviada pela agência reguladora.

Outra reivindicação importante que está sendo atendida, de acordo com a Arsae, é a inclusão de recursos para a recomposição do pavimento das ruas danificadas pelo Saae. “Esses investimentos são fundamentais e refletem as necessidades apresentadas pelo prestador, poder público e usuários. Por isso, a Arsae/MG entende que está atuando em conformidade com suas diretrizes e princípios, ao possibilitar meios para expansão e melhoria dos serviços de abastecimento de água e esgoto, de acordo com a capacidade de pagamento dos moradores de Itabira”, argumentou o diretor geral da Agência, Gustavo Cardoso. A previsão é que sejam aplicados R$ 8,526 milhões em investimentos nos dois anos de vigência desta revisão tarifária.

Notícias relacionadas
Se você não tem Facebook, utlize o formulário abaixo para comentar.
31/08/2017 - 12h12
Aloísio de Almeida
BH
Um absurdo! Não sei como o Prefeito e vereadores permitem isso. Pior é a população que não se manifesta. Todo ano é aumento 4X maior que a inflação. O jeito é ficar inadimplente !!!
0 0
31/08/2017 - 09h13
Alessandro Alves
Itabira
Nenhuma justificativa explica o aumento de tarifa. Muito menos a criação de nova tarifa (EE). Querem impor aumentos abusivos de forma arbitrária ao povo. Esse é a porcaria de nosso país. Lamentável!!
0 0
Novo comentário
Sou cadastrado
Não sou cadastrado
Comentário
Leia mais em: Cidade
Mais
Emprego